As diferenças da Marvel e da DC estão nas fraquezas de seus super-heróis

Marvel e DC têm fraquezas completamente diferentes para seus heróis. Enquanto uma usa fraquezas externas, a outra utiliza fraquezas internas.

As diferenças da Marvel e da DC estão nas fraquezas de seus super-heróis

Tanto a Marvel quanto a DC Comics têm muitas fraquezas únicas para seus respectivos super-heróis, mas o estilo das fraquezas muda drasticamente entre as empresas. Com as gigantes dos quadrinhos tendo heróis...

 As diferenças da Marvel e da DC estão nas fraquezas de seus super-heróis
Imagem: Reprodução | Divulgação
Publicidade

Publicidade

Tanto a Marvel quanto a DC Comics têm muitas fraquezas únicas para seus respectivos super-heróis, mas o estilo das fraquezas muda drasticamente entre as empresas. Com as gigantes dos quadrinhos tendo heróis incrivelmente poderosos como o Capitã Marvel e, claro, o Superman, é natural que os escritores imponham limites estritos às suas habilidades e encontrem maneiras de neutralizá-los completamente. Mas, em geral, a DC usa fraquezas externas enquanto a Marvel utiliza fraquezas internas.

    LEIA MAIS!

A década de 1940 deu origem à Era de Ouro dos Quadrinhos, na qual não havia “regras” estabelecidas para os super-heróis seguirem. Como tal, muitos foram surpreendentemente dominados, como o Lanterna Verde de Alan Scott. Os escritores rapidamente perceberam que um herói que pudesse realizar qualquer coisa daria histórias bastante chatas, então o anel do Lanterna Verde de Alan Scott não conseguiu afetar qualquer material feito de madeira.

Publicidade

Os editores da DC não sabiam disso na época, mas isso estabeleceu um precedente interessante para seus heróis no futuro.

O herói Shazam voltaria para Billy Batson imediatamente se ele falasse seu próprio nome. Aquaman começaria a ficar fraco depois de uma hora longe da água (ou seja, a água salgada do oceano). O Lanterna Verde de Hal Jordan foi incapaz de afetar qualquer objeto de cor amarela, a Mulher Maravilha perdeu seus poderes se seus pulsos fossem amarrados por um homem, e o Caçador de Marte tem uma vulnerabilidade ao fogo.

Publicidade

A fraqueza de super-herói mais conhecida é a aversão do Superman à Kryptonita; ele fica fraco quando a substância está próxima, e a exposição prolongada resultará em morte. Todas essas são fraquezas externas, nas quais o super-herói perde seus poderes graças a um elemento que não se origina dos poderes ou da personalidade de um personagem. Talvez sentindo uma tendência, os editores da Marvel tentaram uma estratégia diferente.

As fraquezas dos personagens da Marvel geralmente decorrem de sua própria personalidade e falhas de caráter. Enquanto o reator arc de Tony Stark é uma fraqueza física, sua verdadeira fraqueza é seu próprio ego, arrogância e atitude autodestrutiva. A própria culpa e comportamento egoísta do Homem-Aranha geralmente levam ao desastre.

Capitã Marvel pode ser o análogo do Superman das empresas, mas sua raiva, uma abordagem poderosa e uma incapacidade de ter perspectiva são as principais fraquezas (todas demonstradas em Guerra Civil II).

Publicidade

Ocasionalmente, uma fraqueza externa pode desencadear uma falha de caráter interno (a fraqueza do Monstro do Pântano não são rochas exóticas do espaço, mas seus próprios problemas de auto-estima exacerbados por sua incapacidade de voltar à forma humana, por exemplo).

A DC notou a eficácia das fraquezas da Marvel e tentou apagar as suas; Aquaman não precisa mais estar perto da água e a fraqueza da Idade de Ouro da Mulher Maravilha foi removida completamente.

Mas o fato é que as fraquezas da Marvel servem para tornar seus personagens humanos – mesmo que eles próprios não sejam – enquanto a DC Comics prefere ter personagens com fraquezas exóticas que colocam seus super-heróis como espécies de deuses gregos.

Publicidade

[créditos: Screen Rant]

Acompanhe o Legado da DC e saiba tudo sobre o universo dcnauta.

Escute o Podcast do Legado:

Publicidade
Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.