DC revela a única coisa que faltava no Batman de Michael Keaton

DC revela a única coisa que faltava no Batman de Michael Keaton

Na continuação em quadrinhos dos filmes de Tim Burton, Batman ’89, a DC Comics revela uma qualidade ausente na versão de Michael Keaton. Ser uma sombra passageira durante a noite pode...

 DC revela a única coisa que faltava no Batman de Michael Keaton
Publicidade

Publicidade

Na continuação em quadrinhos dos filmes de Tim BurtonBatman ’89, a DC Comics revela uma qualidade ausente na versão de Michael Keaton. Ser uma sombra passageira durante a noite pode ser ótimo para assustar os bandidos, mas não faz absolutamente nada para incutir algo maior na cidade que Batman chama de lar.

Passando anos após a conclusão de Batman: O Retorno, esta série limitada começa com um Bruce Wayne mais velho lutando com a ascensão de Duas-Caras e o retorno da Mulher-Gato, até mesmo adicionando Drake Winston à história na forma do vigilante ainda em andamento que eventualmente se tornará Robin.

Chegando a Wayne Manor, Drake é escoltado por Alfred para conversar com Bruce sobre vários tópicos que o preocupam, surpreendendo o bilionário ao revelar imediatamente que sabe sobre as aventuras noturnas de Bruce. Sem acreditar a princípio que Drake deduziu que ele é o Batman, Bruce conclui que o outro vigilante que está invadindo as ruas de Gotham não é outro senão Drake.

Publicidade

Convidando Drake para ficar para o jantar para discutir mais assuntos com ele, Bruce é chamado a atenção por seu novo convidado sobre uma qualidade de Batman que está faltando nas práticas do Homem-Morcego. Dizendo: “Veja, aterrorizando os bandidos… tudo bem, eu entendo, mas é um beco sem saída,” Robin segue com uma observação relevante que os fãs dos filmes de Michael Keaton devem tomar conhecimento.

Explicando que, “Você tem que inspirar as pessoas a se levantarem por conta própria … para fazer o tipo de mundo em que querem viver”, Robin sucintamente dá a esta versão de Batman uma crítica inteiramente justa que, em grande parte, não foi muito explorada em suas aventuras anteriores em Hollywood.

Publicidade

Agindo mais como uma força desconhecida e sombria que espreita as ruas de Gotham, Batman e Batman: O Retorno mostraram a versão de Michael Keaton como um mito, conhecido por poucos e considerado real por ainda menos.

E mesmo depois de salvar a cidade, instalar um sinal para chamá-lo quando necessário e ir para as ruas todas as noites, a presença de Batman sempre instalava uma sensação de medo inquietante nas pessoas de sua cidade – criminosa ou não – especialmente durante os eventos do segundo filme, onde a ideia do herói inspirar as pessoas deu errado depois que o Pinguim virou a cidade contra ele.

Publicidade

Então, embora a encarnação de Keaton tenha muitas coisas a seu favor, um elemento integrante não visto foi sua habilidade de inspirar o povo de Gotham a se tornar algo melhor, ao invés de apenas agir como um guardião imponente de justiça.

Michael Keaton reprisará seu papel como Batman no filme The Flash, bem como as duas edições finais de Batman ’89, então ainda há tempo mais do que suficiente para ver se ele pode preencher esta pequena lacuna em seu legado heróico.

Publicidade

Mas e você, o que acha de tudo isso? Não esqueça de comentar em nossas redes sociais.

Para mais curiosidade sobre o mundo DCnauta, continue de olho no Legado da DC.

Créditos: Screenrant

    LEIA MAIS!

Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.