Duas-Caras de Tim Burton corrige o pior erro de Batman Eternamente; confira

Duas-Caras de Tim Burton corrige o pior erro de Batman Eternamente; confira

Batman de Tim Burton, lançado em 1989, foi um dos momentos mais importantes para o Homem-Morcego nos cinemas – mas o terceiro filme da franquia arruinou os planos do...

 Duas-Caras de Tim Burton corrige o pior erro de Batman Eternamente; confira
Publicidade

Publicidade

Batman de Tim Burton, lançado em 1989, foi um dos momentos mais importantes para o Homem-Morcego nos cinemas – mas o terceiro filme da franquia arruinou os planos do diretor para um vilão em específico. Duas-Caras, que estreou em Batman Eternamente de 1995, foi um grande afastamento de sua contraparte dos quadrinhos, adotando um tom mais engraçado.

 

    LEIA MAIS!

 

Publicidade

Infelizmente, um grande erro em relação à caracterização de Harvey Dent não seria corrigido até 2022 com o lançamento de Batman 89 #5. Antes do Batman de Tim Burton, os fãs que não vieram dos quadrinhos julgavam o Cavaleiro das Trevas pela série de televisão estrelada por Adam West nos anos 60, que era uma comédia assumida.

Embora a série seja lembrada com carinho por muitos espectadores, os fãs da DC Comics que gostavam dos quadrinhos sombrios queriam uma adaptação para a tela grande que combinasse com o tom do material de origem. Batman e a sequência Batman: O Retorno cumpriram essa promessa, mas a Warner Bros. acreditava que o último filme talvez fosse ser muito sombrio.

Posteriormente, o estúdio contratou Joel Schumacher para substituir Tim Burton como parte de uma reformulação geral para aliviar consideravelmente o tom da franquia. Infelizmente, o Duas-Caras de Batman Eternamente não foi bem o que os fãs queriam.

Publicidade

O vilão, interpretado por Tommy Lee Jones, é exagerado e até rivaliza com o Charada no departamento da teatralidade. Infelizmente, essa versão não possui muita fidelidade em relação aos quadrinhos: em uma cena memorável, Duas-Caras continua jogando sua moeda para obter um resultado desejado – algo que raramente, ou nunca, acontece nos quadrinhos.

Batman ’89 corrige isso, mostrando o Duas-Caras obedecendo o resultado da moeda: ao sequestrar o Comissário Gordon, Dent diz “Eu queria [matar você], Jim, mas a moeda disse para deixá-lo viver”. Ele vira novamente, mas mais por curiosidade do que pelo desejo de matar Gordon.

Publicidade

Em Batman: O Cavaleiro das Trevas, o filme insinua que Harvey Dent acredita que deveria morrer por seus crimes – mas a moeda ao ar para decidir seu destino diz o contrário, e Dent relutantemente interrompe sua tentativa de suicídio.

Batman #89 mostra um Duas-Caras muito mais fiel aos quadrinhos. Observe que Dent realmente vai contra os desejos da moeda nos painéis finais da edição, assassinando Gordon a sangue frio – mas isso é claramente mostrado como um ato irracional de raiva (e o lado bom de Harvey ainda diz “Tolo! A moeda disse para deixar ele vive!”).

Os vilões do Batman têm muitos problemas de saúde mental, e o próprio Dent sofre de transtorno de identidade. Esta história em quadrinhos, baseada nos planos de Burton para um terceiro filme, sugere que o diretor sempre quis que a franquia fosse fiel aos quadrinhos, especialmente em relação aos vilões.

Publicidade

Mas e você, quais seus pensamentos sobre tudo isso? Não esqueça de comentar em nosso grupo do Telegram!

Acompanhe o Legado da DC e saiba mais sobre os quadrinhos DCnautas.

Créditos: Screenrant
Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.