Conheça a versão live-action mais fiel e pertubadora do Coringa

Apesar do Coringa ter inúmeras versões em produções live-action, existe uma que é a mais parecida com o material de origem.

Conheça a versão live-action mais fiel e pertubadora do Coringa

Apesar do Coringa ter inúmeras versões em produções live-action, existe uma que é a mais parecida com o material de origem.

Conheça a versão live-action mais fiel e pertubadora do Coringa
A VERSÃO MAIS FIEL
Imagem: Reprodução | Divulgação
PUBLICIDADE

O Bruce Wayne de Gotham levou cinco temporadas para finalmente se vestir como o Batman, e assim que o Cavaleiro das Trevas finalmente assumiu seu papel como protetor de Gotham City pela primeira vez, seu maior vilão também abraçou seu destino.




PUBLICIDADE



Na última temporada, Jeremiah Valeska voltou a aterrorizar Gotham. Foi preciso uma morte, um irmão gêmeo, uma queda em um tanque de produtos químicos e muito sangue derramado, mas finalmente, Jeremiah estava pronto para reivindicar seu manto quando a série finalmente nos deu o verdadeiro Coringa.

Bruce Wayne finalmente volta para casa depois de uma década longe. Seu retorno coincide com a inauguração da nova Torre Wayne, que ganhou muita atenção nos noticiários locais. No entanto, alguém quis estragar o desfile explodindo todo o prédio.

PUBLICIDADE

Embora houvesse um pouco de mistério em jogo, Jeremiah foi revelado como o responsável. Enquanto Valeska foi deixada em coma após sua queda fatídica em um tonel de produtos químicos no episódio “Ace Chemicals”, o final revela que o louco só fingiu estar em coma na última década.

Segundo ele, ele estava apenas esperando que Bruce Wayne voltasse para casa para acordar. Jeremiah tem um retorno especial planejado para Bruce, e envolve uma metodologia clássica do Príncipe Palhaço do Crime.

PUBLICIDADE

Quando Jeremiah finalmente se revela acordado, ele ressurge vestindo um terno verde e roxo, com maquiagem branca e batom vermelho para cobrir seu sorriso cheio de cicatrizes. O final da série deixou claro que esta é a ascensão do verdadeiro Coringa, não outra das infames falsificações.

Jeremiah não é mais o personagem que era quando o vimos pela última vez; não só ele agora está horrivelmente desfigurado, ele não se lembra totalmente de quem ele realmente é. Jeremiah também não tem certeza de como ele veio a ser do jeito que é.

PUBLICIDADE

Essa visão se alinha com a abordagem tradicional da DC Comics para o vilão, já que o Coringa realmente não sabe como é sua história de origem. Em vez disso, ele inventa uma, o que é outra coisa que os quadrinhos fazem frequentemente. Assim, quando o Comissário Gordon lhe pergunta quem ele é, ele não sabe exatamente como responder.

Ele experimenta alguns nomes, como Jack (uma referência ao Jack Napier do Burtonverse) ou simplesmente Jay (uma referência ao seu apelido Mr. J). Contudo, está fortemente implícito que ele acabará se decidindo por ”Coringa”. O nome em si não é ouvido no episódio, mas não precisa ser falado.

Nós sabemos quem ele é. Além disso, o plano final de Valeska também combina perfeitamente com o Coringa tradicional. Suas ações acabam envolvendo pessoas forçadas a se matar, um jogo de adivinhação, bombas debaixo de uma mesa e, claro, uma piada desagradável.

Tudo culmina com ele segurando Barbara Lee Gordon (também conhecida como a futura Batgirl) como refém na Ace Chemicals. Pode não ser Batman: A Piada Mortal, mas a situação ecoa a polêmica história em quadrinhos que viu o Príncipe Palhaço do Crime atacar Barbara Gordon para atormentar o Comissário Gordon.

Quando Valeska finalmente vê o Batman intervir, ele cai na gargalhada ao ver o batarang atravessando a sua mão. Jeremiah pode ter ressurgido para mexer com Bruce Wayne, mas agora ele tem uma nova obsessão: o Batman. Assim como o Cavaleiro das Trevas se revela a Gotham City, o verdadeiro Coringa finalmente nasce.

Mas e você, o que acha de tudo isso? Deixe suas opiniões nos comentários abaixo!

Acompanhe o Legado da DC e saiba mais sobre as produções DCnautas.

A Legado entrevistou um diretor de Hollywood!

Durante a passagem da galera da Marvel Studios na CCXP22, os nossos primos do Legado da Marvel conseguiram entrevistar o diretor de Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania, Peyton Reed.

A entrevista é um marco histórico, pois é a primeira vez que a Legado entrevista algum artista presencialmente. Então não é só uma vitória do Marvel, mas sim de toda a Legado.

Você pode assistir a entrevista completa logo abaixo:

 


Você Comentou Este Artigo
  1. Rebbit disse:

    Kkkkkkk mais realista é boa, essa e a pior versão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020-2023 Legado da DC, uma empresa da Legado Enterprises.
Developed By Old SchooL