O Esquadrão Suicida é a MENOR ESTREIA DA DC no Brasil desde Mulher-Gato!

Novo longa da DCEU teve estreia inferior às de Mulher-Maravilha 1984 e Lanterna Verde no Brasil. O Esquadrão Suicida também não foi bem nos EUA.

O Esquadrão Suicida
PUBLICIDADE

O filme O Esquadrão Suicida estreou com números terríveis nos EUA, e aqui no Brasil a história não foi muito diferente.

O longa comandado por James Gunn faturou R$ 7,1 milhões e vendeu 384 mil ingressos em seu primeiro fim de semana no país. Trata-se da quarta maior abertura do ano e quinta maior desde o início da pandemia no Brasil, logo atrás de Velozes & Furiosos 9 (R$ 12,6 milhões/689 mil ingressos), Viúva Negra (R$ 11,7 milhões/621 mil), Invocação do Mal 3 (R$ 8,5 milhões/464 mil) e Mulher-Maravilha 1984 (R$ 7,3 milhões/411 mil).

Comparado com outros filmes da DC no Brasil os números de O Esquadrão são vergonhosos. No quesito público é a segunda menor abertura para um filme live-action da editora neste século, à frente apenas do desastre Mulher-Gato, que estreou levando 172 mil pessoas aos cinemas em seu primeiro fim de semana lá no longínquo ano de 2004. 

PUBLICIDADE

Na verdade, o fiasco estrelado por Halle Berry e o filme de Gunn são os únicos longas da editora lançados desde 2000 a vender menos de 400 mil ingressos em seu primeiro fim de semana no país. Até a bomba Lanterna Verde teve público de abertura maior do que O Esquadrão: o pavoroso filme estrelado por Ryan Reynolds estreou levando 415 mil pessoas aos cinemas brasileiros em agosto de 2011, uma época em que os filmes ainda estreavam na sexta no país.

No quesito renda, a situação é um pouco menos constrangedora: Batman: O Cavaleiro das Trevas (R$ 7,1 milhões) e Lanterna (R$ 5,6 milhões) arrecadaram menos do que Esquadrão em suas respectivas estreias, porém, como dito acima, ambos tiveram públicos superiores. Claro, o preço médio do ingresso para O Cavaleiro das Trevas foi de R$ 9,16 e o de Lanterna foi de R$ 13,57. Já quem assistiu Esquadrão neste fim de semana desembolsou em média R$ 18,57, o que explica o faturamento levemente acima para a equipe de super-vilões.

A coisa fica feia, porém, quando comparamos as bilheterias dos dois Esquadrão. Afinal, o longa de 2016 vendeu ótimos 2,11 milhões de ingressos em seu primeiro fim de semana, até hoje o segundo maior público de abertura da história da Warner no Brasil. Já este novo filme, bem… levou aos cinemas durante um fim de semana menos pessoas do que o primeiro Esquadrão levou em seu primeiro dia em cartaz (431 mil ingressos). E olha que a quinta-feira em que o longa de Ayer abriu foi um dia útil comum, não teve nenhum feriado para aumentar sua bilheteria.

PUBLICIDADE

Creio que esta seja a maior queda da história da bilheteria brasileira entre um filme e sua “continuação”. 

E como isso aconteceu? Tal como expliquei na análise da bilheteria americana, esse novo Esquadrão Suicida não teve Will Smith, nem Coringa novo, nem trailers que viralizaram, seus protagonistas eram quase totais desconhecidos, enfim… um hype muitíssimo menor que o filme de 2016. E também não ajuda o fato de que ainda estamos numa pandemia, a qual impede que muitos assistam aos filmes no cinema. 

Além disso, por ter estreado simultaneamente na HBO Max americana, o longa já está disponível em altíssima qualidade em vários sites de torrent. Dessa forma, muitas pessoas que não quiseram ou não puderam ir aos cinemas simplesmente baixaram Esquadrão pela internet.

Meus parabéns, Warner. Sua ansiedade em conquistar assinantes para seu streaming e assim apaziguar um punhado de acionistas levou milhões de pessoas em todo o globo a assistir seus filmes de 2021 sem pagar. Graças a essa decisão a empresa perdeu muito dinheiro.

PUBLICIDADE

E você, já assistiu a O Esquadrão Suicida? Se ainda não, você pode comprar ingressos para ver o longa de James Gunn nos cinemas neste link. É bom lembrar que nada supera a experiência de ver um filme em uma sala IMAX. Fica a dica.

Acompanhe o Legado da DC e saiba tudo sobre as produções dcnautas.

LEIA MAIS!

PUBLICIDADE

Sair da versão mobile