A icônica frase do Coringa de Heath Ledger ficou ainda mais perturbadora

A visão de Heath Ledger para o Coringa em O Cavaleiro das Trevas continua sendo um dos marcos culturais mais populares do século XXI,

A icônica frase do Coringa de Heath Ledger ficou ainda mais perturbadora

A visão de Heath Ledger para o Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas continua sendo um dos marcos culturais mais populares do século XXI, provando o quão influente...

 A icônica frase do Coringa de Heath Ledger ficou ainda mais perturbadora
Imagem: Reprodução | Divulgação
Publicidade

Publicidade

A visão de Heath Ledger para o Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas continua sendo um dos marcos culturais mais populares do século XXI, provando o quão influente o Príncipe Palhaço do Crime da DC Comics realmente é. A performance de Ledger deu origem a vários momentos icônicos, incluindo a frase: “Você quer saber como consegui essas cicatrizes?” que se repete várias vezes no filme.

 

 

Publicidade

A frase não só chegou à ambiguidade das origens do Coringa, mas também às táticas de intimidação que ele usa regularmente contra seus inimigos. Agora, uma nova HQ pega a ideia por trás da frase e dá um toque ainda mais assustador. Em Detective Comics #1057, a mais nova vilã de Gotham, Ana Vulsion, encurrala um Psico-Pirata ferido nas profundezas da Torre Arkham.

Enfurecido por ele ter controlado mentalmente ela e o resto dos presos do Arkham, tornando-os versões dóceis de si mesmos, Vulsion diz a ele: ”Você sabe como eu consegui esses cortes? Homens me deram isso’. Homens que queriam me controlar. Me cortei, depois disso. Primeiro para punir minha própria fraqueza. Então percebi que era apenas mais uma manifestação do controle deles sobre mim. Foi quando comecei a machucá-los”.

A linha tem semelhanças distintas com a frase do Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas e dá uma reviravolta crítica que significa como o Universo DC pode continuar desenvolvendo vilões atraentes sem perpetuar mais a crueldade do Coringa. Como o Coringa no filme, as cicatrizes do rosto de Ana Vulsion fazem parte do design da personagem, mas ela é distintamente diferente dele por causa de sua origem.

Publicidade

Dado o abuso da Arlequina pelo Coringa no passado, controlando-a, fica claro que ele não é muito diferente dos homens que procuraram “controlar” Ana Vulsion originalmente. Ana Vulsion inverte assim o significado da frase do Coringa, porque ela não exibe o mesmo tipo de comportamento abusivo que ele, e, em vez disso, é uma vítima tentando se vingar.

Ana Vulsion provou ser uma vilã incrivelmente violenta e imprevisível na Torre Arkham, e sua história de fundo com suas cicatrizes revela o quanto de suas ações são uma reação ao abuso que ela experimentou no passado. A partir disso, ela surge como uma alternativa melhor ao Coringa, pois complica seus temas existentes.

Publicidade

Ela se envolve com as características do Coringa sem precisar provar seu status de vilã por meio de abusos horríveis. Em última análise, Ana Vulsion está emergindo como uma personagem semelhante ao Coringa para a era Infinite Frontier da DC Comics, com uma mudança crucial que a torna uma vilã muito mais complicada do que o Príncipe Palhaçodo Crime.

Dado seu passado, é provável que a própria Ana Vulsion odiasse o Coringa por causa de suas tendências abusivas. E embora a linha dela não seja idêntica à frase do Coringa em Batman: O Cavaleiro das Trevas, seu impacto sobre como o mal existe no Universo DC pode ser sentido nesta edição.

Mas e você, o que acha de tudo isso? Não esqueça de comentar em nosso grupo do Telegram!

Publicidade

Acompanhe o Legado da DC e saiba tudo sobre os quadrinhos DCnautas.

Créditos: Screenrant
Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.