PUBLICIDADE

LISTA – Conheça as 10 piadas mais perturbadoras do Coringa

Já é ruim toda a crueldade que o Coringa inflige, mas é ainda pior que ele faça isso sob o pretexto de "estar brincando".

PUBLICIDADE

Parte do motivo pelo qual o Coringa é assustador e cativante como vilão é porque a identidade de um palhaço está principalmente associada à alegria e ao sorriso. O senso de humor do Coringa, no entanto, envolve caos, violência e até morte. Há uma verdadeira alegria que vem ao infligir dor e ser um agente do caos.

Em certas histórias de origem, o Coringa é um comediante de stand-up fracassado, combinando perfeitamente a linha da tragédia com a comédia. Se os motivos do Coringa estão em fazer o mundo doer tanto quanto ele, ou se ele realmente acha engraçadas suas travessuras torturantes, isso pode ser objeto de debate.

Confira abaixo dez piadas pertubadoras do vilão:

10 – Favor do Coringa

PUBLICIDADE

O episódio de Batman: A Série Animada  intitulado “Favor do Coringa” foi a introdução à visão de Mark Hamill sobre o Sr. Coringa. É uma estreia adequada porque captura perfeitamente o senso de humor doentio que o Coringa tem.

Depois de um incidente com um cidadão comum chamado Charlie Collins, o Coringa rastreou Collins e disse que permitiria que ele vivesse com a condição de que Collins retribuísse o favor.

O plano do vilão incluía deixar o comissário Gordon e os participantes de sua festa paralisados ​​com uma bomba fixada em Gordon. A piada mais cruel do Coringa é que ele prometeu que Collins viveria, mas acabou acorrentando-o ao prédio que iria explodir.

9 – Transformando Tim Drake em um Mini-Coringa

PUBLICIDADE
Batman do Futuro: O Retorno do Coringa

A piada final no Batman é quando o Coringa mostra a ele o mórbido filme caseiro sobre os experimentos de Tim Drake, fazendo com que Batman quase matasse o Coringa de raiva.

8 – Ele corta a língua só por diversão

As vezes, as tentativas de humor pastelão se tornam muito mais sombrias do que qualquer episódio dos Três Patetas. No Batman RIP de Grant Morrison, o Cavaleiro das Trevas está investigando a misteriosa organização conhecida como Black Hood. Para obter mais informações, Bats visita o Coringa na Asilo Arkham para interrogá-lo.

O Coringa, sem surpresa, considera as tentativas do Batman em buscar justiça entediantes. Durante o interrogatório, o Coringa pega um canivete e corta sua própria língua em dois. É difícil dizer o que é mais perturbador: esse esforço de humor chocante, ou que o desenho do Coringa se parece muito com a versão de Jared Leto em Esquadrão Suicida?

PUBLICIDADE

7 – Canetas podem realmente ser tão poderosas quanto espadas

No clássico filme do Batman de Tim Burton, Jack Nicholson traz uma performance memorável que ecoa a persona do pateta Cesar Romero com um toque psicótico assustador.

Após o Coringa se vingar do chefe do crime Carl Grissom, o associado Vinnie Ricorso dá uma entrevista coletiva para alegar que agora ele é o dono da empresa de Grissom. Ricorso fica surpreso quando o Coringa surge com uma gangue de mímicos.

O Palhaço afirma sarcasticamente que viu Grissom renunciar aos direitos de Ricorso e, em seguida, joga uma arma projetada como uma caneta de pena na garganta de Ricorso. O Coringa tem um prazer arrepiante em seu assassinato criativo, observando que “a caneta é realmente mais poderosa do que a espada!”.

6 – O truque do lápis “mágico”

O truque do lápis do Coringa é uma das reviravoltas mais inesquecíveis da trilogia Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan. Coringa invade uma reunião dos senhores do crime de Gotham e, depois de ser ameaçado, ele se oferece para mostrar aos gângsteres “um truque de mágica”.

Coringa enfia firmemente um lápis na mesa e bate com a cabeça de um capanga nele, fazendo-o “desaparecer” na órbita do olho do homem – provavelmente matando-o instantaneamente. Depois que a ”arma” passa pelo cérebro do homem, o Coringa responde com um “Tã-dã!”. Este assassinato divertido e doentio supostamente arrancou suspiros do público e as filmagens quase causaram uma contusão no ator que interpretava o bandido.

5 – O que acontesse quando se cruza com um doente mental solitário?

Coringa estrelado por Joaquin Phoenix é um estudo de personagem brilhante que lida com a questão de ignorar as doenças mentais na sociedade. O clímax do filme chega quando Arthur Fleck é convidado para o programa do apresentador Murray Franklin para ser ridicularizado.

O ponto culminante do abuso constante é a cena profundamente perturbadora em que Arthur expõe suas queixas ao mundo. Murray tenta encerrar a transmissão quando Arthur conta uma última piada. “O que acontecesse quando se cruza com um doente mental solitário em uma sociedade que o trata como lixo?” A piada obscura envolve matar Murray, ao vivo na TV.

4 – A piada final

Essa piada que o Coringa conta no final da aclamada Piada Mortal é perturbadora por vários motivos. Talvez o mais desconfortável seja que ele realmente faz o Batman rir, o que é perturbador por si só.

Batman tentou convencer o Coringa a desistir da vida crime. O Coringa responde contando uma história de presidiários que escapam de um asilo e de um preso que se oferece para usar sua lanterna para ajudar o outro preso a atravessar, ao passo que o outro preso responde “você apenas desligará quando eu estiver na metade do caminho”. É uma piada que nem é tão engraçada, o que pode explicar por que o Coringa foi um comediante fracassado.

3 – Fazendo um sorriso com os dentes da mãe de Falcone

Este é considerado um dos momentos mais perturbadores da história do vilão. O Coringa vai atrás do mafioso Carmine Falcone de uma das formas mais torturantes que um vilão poderia fazer: trazendo a própria mãe de sua vítima. Na série A Guerra das Piadas e Charadas, Coringa está tentando matar o Charada e pede a ajuda de Falcone. Quando Falcone falha, o Coringa o pune com uma piada sádica.

O Coringa espalha os dentes da mãe de Falcone em sua mesa quando o mafioso retorna ao escritório. “Eu tirei os dentes da sua mãe de sua boca e eu a fiz sorrir”, disse o vilão.

2 – Desejando “Feliz Natal” antes de matar Sarah Essen

Este é o Coringa em seu pior estado. Nada é mais imperdoável do que o hediondo assassinato que ele cometeu em Batman: Terra de Ninguém. O Coringa aproveitou o terremoto que destruiu Gotham e o isolou do mundo para se deleitar com seu senso de humor psicótico.

O vilão sequestrou 36 dos primeiros bebês de Gotham como uma piada de mau gosto. Sarah Essen, esposa de Jim Gordon, tentou impedi-lo . O Coringa provocou Sarah jogando um dos bebês em sua direção e então respondeu “Feliz Natal” antes de atirar nela.

A provocação e o assassinato são inimaginavelmente cruéis, ainda mais quando se considera que o Coringa provavelmente se divertiu com a coisa toda.

1 – A pegadinha canibal

É difícil escolher o momento mais hediondo do Príncipe Palhaço do Crime, mas essa “piada” é particularmente vil e lembra o clássico vilão de terror Leatherface de O Massacre da Serra Elétrica. Em Batman: Morte em Família, de Scott Synder o Coringa corta a pele de seu rosto, apenas para usá-la como uma máscara horrível.

O Palhaço acaba prendendo o Batman e a Família do Morcego na Batcaverna, oferecendo um jantar simulado, já que a maioria dos “convidados” são amarrados e encharcados com gasolina.

Coringa fez uma lavagem cerebral em Alfred para que ele serva à Bat-Família. Todos eles eventualmente escapam, mas não há como saber a profundidade do trauma dos envolvidos como resultado dessa “pegadinha” tenebrosa.

Créditos: CBR

Fique por dentro do Legado da DC e saiba tudo sobre o universo DCnauta.

LEIA MAIS!

Sair da versão mobile